A Rainha das Águas, de Kai Meyer


"Esta história decorre numa Veneza mágica, onde mundos alternativos e tempos históricos se cruzam, povoada por sereias melancólicas e esquivas, que os humanos escravizam, leões de pedra vivos que servem de montada aos soldados da Guarda. 50 anos depois de o faraó Amenófis ter regressado à vida e subjugado o mundo com o seu exército de guerreiros-múmias. Só Veneza permanece livre graças à misteriosa Rainha das Águas que se confunde com as águas verde-esmeralda da Laguna. Merle e Junipa, duas jovens órfãs que trabalham na oficina de Arcimboldo, fabricante de espelhos mágicos, e Serafim, um jovem aprendiz de tecelão, descobrem entretanto uma sombria conjura destinada a entregar a cidade ao faraó. Só Merle, escolhida pela Rainha das Águas para guardar a sua essência, poderá talvez salvar o último bastião da liberdade!"

Já terminei de ler este livro à bastante tempo! Foi uma leitura bastante rápida para mim, pois estou habituada a ler livros gigantes... este é mais pequeno do que eu estou acostumada, mas de fácil leitura. Li-o rápido, não só por ser pequeno, mas também porque a história cativa bastante.

Quando o acabei de ler, a primeira impressão com que fiquei, foi que o livro acabou quando devia ter começado, cheguei mesmo a pensar "bah, acabou sem piada!". Inicialmente fiz umas pesquisas para ver se tinha sequela, pois gostava de ler, mas nada mais encontrei deste autor em Português. Entretanto, com uma pesquisa mais intensa, descobri que o livro tem sequela, apenas não está publicado em português. Não posso deixar de ficar desiludida, pois gostava muito de saber o que acontece a seguir. 

É uma aventura mágica e cheia de surpresas, mas que no final nos deixa com um sentimento de "acabou sem piada"! Infelizmente, não por causa do próprio livro, mas sim por causa da falta de continuidade da sequela em Português.

By Lum

Um dia Não!

Estão a ver aqueles dias em que pensam "mas porquê que me levantei da cama!!??". Ya, eu tive um dia desses... o chamado dia não!

O meu dia começa logo bem, saindo já tarde de casa para ir para o trabalho. E porque quando temos pressa, nos aparece tudo, pumba... apanhei vermelho em todos os semáforos que passei! Chego atrasada, a correr pelas escadas para ir picar o ponto, tropeçei e quase espetei mega tralho! E pensei: "puuff, ao menos ninguém viu"!
Fui castigada! Após picar o ponto, segui para o meu gabinete e ao subir as escadas, o que aconteceu? Tropeçei e quase espetei um tralho em frente à fábrica toda... ya...


Passou-se o dia de trabalho, correu tudo bem... mas ainda não tinha acabado o dia! Saí da fábrica, directa a casa. Estava eu a meter o carro na garagem, a manobra é um pouco complicada pela localização dela e chega a vizinha que tem a garagem ao lado da minha. A senhora que deve ser muito apressada, decidiu fazer a manobra para meter o carro dela antes de eu terminar de fazer a minha. Ora, não conseguimos fazer as duas a manobra ao mesmo tempo, não é compatível... ela não quer saber disso, mas eu tenho amor ao meu carro: ao desviar-me para que ela não me batesse no carro, pumm: espetei com o espelho retrovisor no portão.... não partiu, só arranhou! Mas já deu para dizer milhentas asneiras, enquanto tratava mal a vizinha dentro do meu carro, bem baixinho para não fazer peixarada com ela.



Mas, como não há 2 sem 3, eis que chego a casa, chateada e cheia de fome.. abro o armário das bolachas e pum: cai-me o amortecedor, que não me atingiu por sorte, mas lascou a pedra da bancada e ainda estragou o chão!!


Existem dias que realmente mais vale nos deixarmos ficar a dormir... bah! 

Ao menos hoje é feriado, aproveitei para descansar! 
E vocês, já tiveram um dia tão não quanto este?

Um bom resto de feriado para todos!

By Lum

Epica - The Holographic Principle


Já foi uma aquisição feita em Outubro do ano passado, mas ainda vai a tempo!
Adorei este álbum, surpreendeu pela positiva, apesar do primeiro single não ter sido o melhor (apesar de até gostar da música).
Mas vamos por música:
1. Eidola - Adorei este intro! Tem uma orquestra e um coro fantástico. Mas Epica tem sempre intros espectaculares, porque haveria este de ser diferente? :P

2. Edge of Blade - Foi o 1º single, eu pessoalmente gosto da música, mas o álbum é bem melhor! O videoclip é engraçado, mas estranho! A Simone utiliza uma forma de cantar um pouco diferente nesta música.

3. A Phantasmic Parade - Gosto bastante desta música, adoro os coros (mais uma vez ehehehe). Uma música bem ao estilo de Epica, com a voz da Simone no seu registo normal.

4. Universal Death Squad - A primeira música do álbum a sair para a internet. É uma musica mais pesada, com os guturrais do Mark bem presentes. Esta música tem um versão acústica que gosto muito e que vem na versão digipack do álbum, adoptando o nome de "Universal Love Squad". 

5. Divide and Conquer - Uma música também ao estilo dos Epica, que me faz lembrar um pouco o "Design your Universe".

6. Beyond the Matrix - É o 3º single do álbum. Adoro esta música, fica no ouvido, tem uma letra que adoro e uns coros bem fixes. Foi das músicas que mais ouvi. Possui uma versão acústica na versão digipack, chamada "Beyond the Good, The Bad and the Ugly", que também está muita fixe.

7. Once Upon a Nightmare - É uma espécie de balada, ao estilo da "Chasing the Dragon". Adoro esta música.

8. The Cosmic Algorithm - É uma música também mais pesadota, mas foi a que menos ouvi do álbum. Não é que não goste da música, simplesmente não teve aquele impacto.. Tem também uma versão acústica na versão digipack chamada "The Funky Algorithm", que é bastante divertida e animada.

9. Ascension - Dream State Armageddon - A minha música preferida do álbum! Adoro os guturrais, a voz da Simone, os coros, o som pesado!!

10. Dancing in a Hurricane - A minha segunda música preferida do álbum! Adoro o som desta música e a própria letra :) Tem uma versão acústica na versão digipack, chamada "Dancing in a Gypsy Camp", que está muito porreira também. Das músicas que mais ouço deste álbum!

11. Tear Down Your Walls - Mais uma música ao estilo da Epica. É bastante boa, apesar de não ser das músicas que mais ouço deste álbum.

12. The Holographic Principle - A Profound Understanding of Reality - A música mais longa do álbum com cerca de 12minutos, mas confesso que ao ouvi-la, nem damos por esse tempo passar. Excelente música, tal como Epica sempre nos habituou em todos os álbuns.

Na versão digipack, além das músicas acústicas já faladas, também tem a música "Immortal Melancholy". É uma balada cantada apenas pela Simone, muito calma e que eu adoro!

Olhem só para esta música cantada ao vivo, adoroooo:

Sei que eles vêm ao VOA (o antigo Vagos Open Air, que era em Vagos, mas agora passou para Corroios, confesso que não entendi a mudança e não gostei da ideia, mas pronto!) este ano. Podiam dar um saltinho ao Porto como sempre fazem, porque eu iria lá estar, para os ver pela 3ª vez.

Da última vez, consegui que me assinassem o álbum. eheheheh

E vocês, gostaram do álbum?

By Lum

The White Queen - Serie (2013)


"Na Inglaterra de 1464, antes da Dinastia Tudor assumir o poder, a luta pelo trono era travada entre dois lados da mesma família: os York e os Lancaster. Dos York, o jovem e belo Eduardo IV é coroado rei, com a ajuda do manipulador Lorde Warwick (James Frain). Mas quando ele se apaixona por Elizabeth Woodville (Rebecca Ferguson), do clã Lancaster, todo o plano de Warwick pode ir por água abaixo. Uma história de amor, sedução, assassinato e traição de uma das eras mais turbulentas da Inglaterra, contada pela visão de três mulheres tão belas quanto fortes: Elizabeth Woodville, Margaret Beaufort (Amanda Hale) e Anne Neville (Faye Marsay). "


Já vi esta serie à algum tempo, e gostei muito! Baseada no livro "The Women of the Cousins’ War" da autora Phillippa Gregory, e centra-se no período da Guerra das Rosas, onde a família York e Lancaster lutam pelo trono de Inglaterra. O rei Edward IV, da família York,  é coroado com a ajuda do seu primo Lord Warwick. No entanto, o rei apaixona-se por Elizabeth Woodville, da família Lancaster: uma víuva, mãe de dois filhos, acabando por casar com ela e torna-la rainha de Inglaterra. É aqui que começa uma nova guerra pelo trono, uma vez que Lorde Warwick não aceita este casamento, conspirando contra o rei. 
Em segundo plano, começamos também por conhecer a história de Margaret Beaufort, que casou um um Tudor, de quem teve um filho chamado Henrique. Não pôde criar o filho, uma vez que este foi entregue ao seu tio. Margaret profetiza que o seu filho, Henrique Tudor será rei.
A serie é constituída por apenas uma temporada e conta a vida toda do rei Edward, até ao final da Guerra das Rosas e início da dinastia Tudor.

Uma história cheia de enredo, amor, e traição. Aconselho vivamente!!

By Lum

Ìnclita Geração, de Isabel Stilwell


"Isabel, tal como a sua mãe, D. Filipa de Lencastre, casava tarde. E a ideia de deixar Portugal, o pai envelhecido, os cinco irmãos e Lopo, irmão de leite e melhor amigo, para partir para um país longínquo atormentava-lhe o coração. Mas Isabel sabia que nascera para cumprir um destino, ser a Estrela do Norte, que firme no céu indica o caminho."

Mais um livro de Isabel Stilwell que adorei! Mais uma história envolvente, desta vez sobre Isabel de Borgonha, filha de D, Filipa de Lencastre. Uma mulher inteligente, principalmente a gerir o reino, no entanto traída pelo marido vezes sem conta. Foi a ultima descendente de D. Filipa de Lencastre e D. João I a falecer e a única que não está sepultada no Mosteiro da Batalha.

É realmente uma história de uma mulher forte e inteligente, que acaba por ser uma inspiração, tal como a sua mãe.
Um livro a ler depois do livro Filipa de Lencastre (assim é possível compreender muito melhor a história, uma vez que quase parece uma continuação).
Aconselho!

By Lum

Filipa de Lencastre - Review / Opinião


"Filipa de Portugal morreu de peste negra, tal como a sua mãe, a 15 de Julho de 1415. Com 55 anos. No dia 25 partiam de Lisboa 240 embarcações e um exército de 20 mil homens, entre os quais D. Duarte, o Infante D. Henrique e D. Pedro. A Praça de Ceuta caía cerca de um mês depois. D. Filipa não esperaria outra coisa dos seus filhos…Mulher de uma fé inabalável, conhecida pela sua generosidade, empreendedora e determinada a mudar os usos e costumes de uma corte tão diferente da sua, Filipa de Lencastre deu à luz, aos 29 anos, o primeiro dos seus oito filhos. A chamada Ínclita Geração, que um dia, como ela, partiria em busca de novos mundos e mudaria para sempre os destinos da nação.Frei John, o tutor já tinha previsto o seu destino nas estrelas. Nasceu Phillipa of Lancaster, filha primogénita de John of Gaunt, mas aos 29 anos deixou para trás a sua querida Inglaterra para se casar com D. João I de Portugal. A 11 de Fevereiro de 1387 o povo invadiu as ruas da cidade do Porto para aclamar carinhosamente D. Filipa de Lencastre, Rainha de Portugal. Num romance baseado numa investigação histórica cuidada, Isabel Stilwell conta-nos a vida de uma das mais importantes rainhas de Portugal. Desde a sua infância em Inglaterra, onde conhecemos a corte do século XIV, à sua chegada de barco a Portugal onde somos levados numa vertigem de sentimentos e afectos, aventuras e intrigas."

Já acabei de ler o livro à quase um mês, mas só hoje tive um tempinho para escrever sobre ele. O livro Filipa de Lencastre de Isabel Stilwel é realmente fantástico. Várias pessoas que o leram já me tinham dito que valia muito a pena ler e realmente confere!
Filipa de Lencastre ficou sem mãe cedo e casou já bastante tarde para a época, mas no entanto teve 8 filhos com o rei D. João I. De facto, foi uma rainha muito devota e muito inteligente, com um jeitinho especial para a arquitetura. Restaurou várias palácios, incluindo o Palácio Nacional de Sintra.

É um livro que envolve completamente, e não se consegue parar de ler. Um livro que se lê facilmente de ser tão envolvente! Um livro que descreve bem a vida de Filipa de Lencastre, a 1ª rainha da dinastia de Avis!

Aconselho vivamente!

By Lum