terça-feira, 1 de maio de 2018

D. Maria II - Tudo por um Reino, de Isabel Stilwell


"Com apenas 7 anos, Maria da Glória torna-se rainha de Portugal. Um país do outro lado do oceano que nunca havia pisado. A sua infância foi vivida no Brasil, entre o calor e os papagaios coloridos que admirava na companhia dos seus irmãos e da sua adorada mãe, D. Leopoldina. A ensombrar esta felicidade apenas Domitília, a amante do seu pai, imperador do Brasil e D. Pedro IV de Portugal. Em 1828 parte rumo a Viena para ser educada na corte dos avós. Para trás deixa a mãe sepultada, os seus adorados irmãos e a marquesa de Aguiar, sua amiga e protetora. Traída pelo seu tio D. Miguel, que se declara rei de Portugal, e a quem estava prometida em casamento, D. Maria acaba por desembarcar em Londres onde conhece Vitória, a herdeira da coroa de Inglaterra a quem ficará para sempre ligada por uma estreita relação de amizade. Aos 15 anos, finda a guerra civil, D. Maria pisa pela primeira vez o solo do seu país. Seria uma boa rainha para aquela gente que a acolhia em festa e uma mulher feliz, mais feliz do que a sua querida mãe. Fracassada a sua união com o tio, agora exilado, casa-se com Augusto de Beauharnais que um ano depois morre de difteria. Maria era teimosa, não desistia assim tão facilmente da sua felicidade e encontra-a junto de D. Fernando de Saxo-Coburgo-Gotha, pai dos seus onze filhos, quatro deles mortos à nascença."

Isabel Stiwell não desilude! Mais um livro de grande qualidade, tal como nos tem habituado!
Maria da Glória nasceu no Brasil e presenciou coisas que nenhuma criança deveria presenciar. O seu pai tinha várias amantes, entre elas Domitília, que ensombra a família. Após a morte da mãe, D. Maria segue para a Europa para reclamar o trono de Portugal, na qual se tornou rainha aos 7 anos, no entanto, haveria de voltar ao Brasil sem ter entrado no nosso país. Durante a estadia na Europa, fez uma grande amizade com Vitória de Inglaterra. Pisaria pela primeira vez o nosso país com 15 anos. Casou com Augusto de Beauharnais, mas este morreu um ano depois. Volta a casar-se, desta vez com D. Fernando de Saxo-Coburgo-Gotha, homem que amou até morrer. Reinou numa altura em que o país esta endividado devido à guerra, divido e sempre à beira da guerra civil. Não tomou as melhores decisões enquanto rainha, nomeadamente com o seu ministro, e foi muitas vezes mal aconselhada. No entanto, acho que ela foi uma mulher de uma grande coragem e força. Morreu muito nova, aos 34 anos, no seu 11º parto, ou no cumprimento do seu dever como rainha, como costumava dizer. 
No livro, encontram-se trechos do diário e de algumas cartas da D. Leonor da Câmara, mestra de D. Maria II, e de Vitória de Inglaterra, que são fascinantes.

Vale muito a pena a leitura!

By Lum