domingo, 18 de março de 2018

Joana, a Louca de Linda Carlino


"Joana, a Louca é o primeiro romance da autora Linda Carlino. Um romance histórico, onde Carlino ficciona a biografia de uma das personalidades mais intrigantes da história do século XVI europeu. A obra tem início em 1946, quando a jovem filha dos Reis Católicos, com apenas 16 anos, embarca para a Flandres para desposar Filipe, o Belo, e acompanha toda a sua vida até ao final dos seus dias, encarcerada em Tordesilhas pelo próprio filho, Carlos V, imperador do Sacro Império Romano-Germânico. Um romance com uma nítida descrição da personalidade de Joana, uma mulher de inteligência arguta e sentimentos nobres, de espírito inquebrável que a fez resistir à traição por parte daqueles que lhe eram mais próximos e que lhe valeu o injusto epíteto de Louca."

Este foi um daqueles livros que gostei bastante de ler. A autora consegue descrever a personalidade de D. Joana na perfeição. Uma princesa muito melancólica e com as emoções à flor da pele e que se apaixonou perdidamente pelo marido, Filipe o Belo. Filipe tratava mal Joana, mas sempre conseguia o que queria dela, pois aproveitava-se do amor e devoção que Joana lhe tinha. No entanto, quando se tornou rainha de Castela, manteve-se firme, pois era ela rainha e ele simplesmente consorte. Mais uma vez, sofreu a injustiça na pele, quando foi aprisionada pelo próprio pai e pelo marido, assumindo a regência de Castela. Sofreu com a morte prematura do seu marido, que morreu quando estava grávida da sua ultima filha, Catarina. Nunca lhe deram a oportunidade de ser rainha. Até o filho a aprisionou, para que pudesse reinar. Passou por provações horríveis, maus tratos e condições desumanas em que foi cativa.

Na minha modesta opinião, acho que Joana foi vitima da maldade dos outros. Sim, ela tinha uma personalidade diferente, mas foram os maus tratos e traições do marido que tanto amava, maus tratos da corte de Flandres que tanto a odiavam que a fizeram ficar desconfiada e paranóica. No entanto, nos seus momentos de clareza, mostrava-se uma mulher inteligente e perspicaz.  Foi encarcerada em Tordesilhas pelo filho, foi muito muito mal tratada. A filha Catarina sempre viveu com ela, acabando também ela por estar encarcerada. Não me admira que tenha ficado paranóica e meia louca. Não posso deixar de achar que foi uma mulher de coragem e mal compreendida!

Vale a pena ler o livro, só para conhecerem a história de Joana de Castela.

By Lum